O lançamento do Tesouro Direto-Previdência, novidade para 2022, traz uma nova opção para a aposentadoria no Brasil. Confira mais sobre como ele funciona e quais são as suas vantagens!

Os brasileiros, de maneira geral, não costumam planejar um futuro muito distante quando o assunto é dinheiro e nem possuem uma base de educação financeira. E essa cultura imediatista pode ser resultado de um passado que se provou incerto para a economia do país, como a inflação imprevisível, por exemplo.

Segundo os dados, pelo menos 18% da população pensa em ter rendimentos advindos de aplicações financeiras, 9% da previdência privada e 10% dos brasileiros ainda não pensaram a respeito do futuro, em que estarão aposentados.

Dessa forma, o Governo do Brasil tem mostrado, cada vez mais, a preocupação com as contas públicas da Previdência, como mostra a nova reforma realizada recentemente.

 

E em 2022, a novidade é o lançamento do Tesouro Previdência, um título do Tesouro Direto usado especialmente para a complementação da aposentadoria pública.

 

Quer saber mais sobre o que é e como funciona o Tesouro Previdência? Então, acompanhe esse artigo até o final. Boa leitura!

O que é o Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é parte de um programa do Tesouro Nacional, juntamente com a Bolsa de Valores, em que é realizada a venda de títulos públicos federais, como forma de investimento, para pessoas físicas.

 

Os títulos do Tesouro Direto se tornaram populares por oferecer pouco risco aos investidores e ter retornos atrativos, até mesmo para os mais conservadores, uma vez que possuem a garantia do Governo Federal.

 

A rentabilidade dos títulos pode variar de acordo com o tipo de investimento:

 

  • Pós-fixada – é a renda é definida apenas ao longo do investimento, como o caso do Tesouro Selic, cuja rentabilidade está atrelada à taxa de juros.
  • Pré-fixada – é quando a renda é estipulada no momento da compra, permite que o investidor calcule o quanto quer receber e invista de acordo com os ganhos futuros.
  • Atrelada ao IPCA – a renda é resultado de uma mescla entre pré-fixada e baseada na inflação no período da aplicação.

 

Em resumo, o Tesouro Direto é um tipo de investimento em papéis da dívida pública nacional, em que, ao investir, a pessoa está “emprestando” dinheiro ao governo, para custear serviços públicos e recebendo uma remuneração (juros) pelo empréstimo.

Como vai funcionar o Tesouro Direto-Previdência?

Paulo Valle, secretário do Tesouro, concedeu uma entrevista ao jornal Estadão e confirmou o lançamento dessa opção de título para este ano, voltado especificamente para a aposentadoria.

 

A ideia é que haja o investimento por um período longo, de 30 a 40 anos, em que não haverá o recebimento dos juros. Após esse período, o investidor irá receber uma renda mensal, que será como uma aposentadoria.

 

Será possível realizar um cálculo prévio, tendo como intuito saber quantos títulos de aposentadoria o investidor deve comprar para receber a renda futura estipulada por ele.

 

Por exemplo, se o objetivo é receber uma renda de R$ 5 mil ao mês por 20 anos, após 30 anos de investimento, será possível calcular qual deve ser o investimento para tal.

 

Ao Estadão, o secretário Paulo Valle disse: “Hoje, o mercado de previdência fala muito da rentabilidade. Não fica claro qual é a renda que o poupador vai ter. Temos que mirar a renda.”

O que muda com o Tesouro Direto-Previdência?

Até 2021, era possível investir no Tesouro Direto mirando na aposentadoria, mas se tratava de um investimento planejado totalmente pelo poupador, sem a característica de acumulação e desacumulação, ou seja, acúmulo de rendimento durante um período e pagamento mensal após um prazo pré-determinado.

 

Os títulos Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais são os que possuem prazos longos e eram utilizados pelos investidores pensando na aposentadoria.

 

Porém, o IPCA+ acumula o patrimônio, mas não chega a pagar um rendimento mensal fixo e o título com juros semestrais paga os rendimentos a cada seis meses.

 

O Tesouro Direto-Previdência promete facilitar a vida do brasileiro, pois um rendimento mensal é mais facilmente compreendido e a maneira de calcular a renda recebida será mais simples, com um título pensado exatamente para a aposentadoria.

Qual a diferença entre Tesouro Direto-Previdência e Previdência Privada?

A principal diferença está no fato de que, no geral, os planos de previdência são disponibilizados por instituições privadas, como bancos ou seguradoras, ao passo que o Tesouro Direto-Previdência será fornecido pelo Governo Federal.

 

Existem dois tipos de Previdência Privada: fechado, oferecido pela empresa, através de uma fundação, apenas para seus próprios funcionários; ou aberto, disponível para qualquer pessoa, através de bancos e seguradoras.

 

A Previdência Privada é feita através de fundos de investimento que possuem a característica de ter um período de acumulação, em que há a realização da contribuição no fundo escolhido, com condições estipuladas previamente.

 

Depois desse período, é realizado o pagamento dos rendimentos, que pode ser em parcela única ou parcelas mensais fixas, que podem durar por um período determinado ou serem vitalícias.

 

A maneira de investimento e ganho da Previdência Privada e do Tesouro Direto-Previdência podem ser bem similares, mas a diferença está na segurança concedida ao poupador, entre a garantia de fundos privados ou a garantia fornecida pelo Governo Federal.

Investimento para o futuro: qual a importância de pensar à frente?

O lançamento do Tesouro Direto-Previdência já resultou positivamente ao levantar a discussão da importância de se pensar em um futuro distante com relação à aposentadoria.

 

Ao falar de uma reserva para a longevidade, é importante lembrar que o tempo é um fator fundamental, ou seja, quanto antes nos conscientizarmos e começarmos a poupar, menos esforço teremos para atingirmos uma aposentadoria satisfatória.

 

Seja qual for o investimento escolhido para a aposentadoria, é necessário levantar a discussão para a geração mais jovem da população brasileira e buscar modificar a cultura imediatista e, assim, transformá-la em uma cultura poupadora.

 

Ou então: Investir no Tesouro Direto por mais de 30 anos? Saiba o que estão preparando para você!

 

https://www.anbima.com.br/pt_br/especial/raio-x-do-investidor-2021.htm

 

Trouxe bastante dados e falas para embasar o meu artigo, acho que irá curtir.

 

Aqui daria um excelente feature.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.