Entenda como as esculturas agregam valor artístico na decoração e saiba quais as características ideais para cada ambiente

As esculturas são peças que carregam referências culturais e arquitetônicas de uma determinada região. Elas são utilizadas como itens decorativos desde os primórdios da história humana, seja como monumentos solitários, elementos de toda uma edificação ou componentes internos de decoração.

Hoje, além de estarem sob luminárias e dentro de cúpulas de vidro nos museus, também são um hit na decoração de interiores e exteriores, utilizadas nas mais diversas formas, em diferentes materiais e tamanhos para expressar a linha de estilo ou dar um destaque artístico nos ambientes.

Engana-se quem pensa que uma escultura decorativa é limitada em linhas clássicas. Existem peças de todos os estilos e que fazem referência de sua terra natal, como os bustos gregos, os elefantes africanos em madeiras ou esfinges egípcias, por exemplo.

Na verdade, atualmente as esculturas podem ser encontradas em diversas opções, que vão desde o clássico realista até peças contemporâneas, minimalistas ou abstratas. Com isso, é possível utilizá-las como foco de um ambiente ou complemento de toda uma decoração. Veja como utilizar peças esculturais na decoração de ambientes. 

Como utilizar esculturas na decoração e favorecer sua importância na personalidade dos ambientes?

Uma coisa em comum entre as esculturas, independentemente de suas formas ou tamanhos, é a capacidade que essas peças têm de causar uma impressão elegante, seja qual for seu estilo. Apesar disso, quando não são bem integradas nos ambientes, seja na parte interna ou externa dos projetos, ficam apagadas ou destoam com o resto da decoração.

Quando se trata de decoração, as esculturas são utilizadas para introduzir um toque artístico, refinado, reforçar a personalidade e dar vida ao ambiente. Na hora de escolher uma peça, é importante que ela se encaixe com seu estilo, seja ele clássico, moderno ou contemporâneo.

Isto porque, as esculturas serão utilizadas para valorizar o espaço onde serão dispostas, seja no canto de uma sala, em cima de mesas e outros móveis ou fixadas na parede. 

Por isso, é importante saber como utilizá-las na decoração dos diferentes espaços ou lugares que serão colocadas, seja como o destaque principal ou composição de um todo. Para te ajudar, separamos alguns exemplos de ambientes e as características que as esculturas precisam ter para se encaixarem bem neles.

Em cima de mesas de jantar, de centro e outros móveis

Como você viu, o tipo de escultura adequada para sua decoração é aquele que mais se alinha ao seu estilo. Sabendo disso, o próximo passo é entender as características que uma escultura deve ter para se encaixar no ambiente.

Se a ideia é colocá-las em cima dos móveis ou mesas, é importante tomar cuidado com sua orientação. Se for horizontal, não deve ser muito longa para não ocupar espaço demais. Caso seja vertical, tenha cuidado para não escolher uma peça muito alta para não atrapalhar o campo de visão das pessoas.

Fixadas nas paredes

Se for na parede de uma sala de estar, jantar ou de TV, é importante utilizar uma escultura grande num ponto de destaque do ambiente, sem misturar com outros elementos, somente a escultura e a parede.

Além desses lugares, as esculturas também vão muito bem na decoração de corredores de passagens. Neste caso, opte por peças menores e que causem um bom contraste com a parede.

Estantes e/ou nichos

Nesses móveis, é interessante utilizar várias esculturas pequenas da mesma linha de estilo, mas sempre tomando cuidado para não deixá-las muito próximas umas das outras.

Cantos e extremidades dos ambientes

Neste caso, a escultura deve ser utilizada como grande ponto de destaque no ambiente para causar um impacto positivo aos que se depararam com ela. Em relação às características da peça, é importante que ela seja grande, de preferência com orientação vertical e sempre no encontro das paredes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.