Quais as diferenças processuais entre o Recursos humanos e o Departamento pessoal?

10/18/2021 Por companiaweb

Dois setores primordiais dentro de uma empresa são o RH e DP, ou seja, Recursos Humanos e Departamento pessoal, respectivamente. É importante destacar que ambos possuem funções completamente diferentes, mesmo envolvendo a parte da “gestão” de colaboradores, de certo modo. 

Os dois departamentos possuem funções muito bem definidas, e por isso é necessário manter equipes distintas em cada setor, para não haver qualquer tipo de confusão. 

Enquanto o setor de Recursos Humanos trata da gestão de pessoas, como admissão a partir do recrutamento e a seleção de candidatos para uma vaga, o Departamento Pessoal trata de questões burocráticas e fiscais desses colaboradores. 

Para garantir o bom andamento de um empreendimento comercial ou industrial, por exemplo, ambos os departamentos precisam se comunicar continuamente. Porém, nem todos os processos relativos a um setor interferem no outro.

Vale destacar, para compreensão geral, que o Departamento Pessoal é responsável por grande parte das responsabilidades financeiras de uma empresa, tratando de:

  • Admissão e demissão de funcionários;
  • Cálculo de valor de INSS e FGTS;
  • Folha de pagamento;
  • Registro e baixa de carteira de trabalho.

Para esclarecer de uma vez de todas, basta entender que muitas empresas optam pela terceirização desses serviços. 

Dessa forma, o setor de Recursos Humanos fica sob a responsabilidade de uma agência de empregos e o Departamento Pessoal é cuidado por um escritório de contabilidade. 

Mudanças no RH transformam o ambiente de trabalho

O avanço da tecnologia, a facilidade de trabalho remoto em muitos setores produtivos e o reconhecimento, por parte das empresas, que a mão de obra é a maior força motriz de um ambiente de trabalho mudou o paradigma relacionado ao departamento de Recursos Humanos.

Os resultados de uma linha de produção, por exemplo, de uma empresa instaladora de spda dependem de uma condução e acompanhamento de um operador a todo o instante de trabalho.

Apesar das máquinas fazerem parte de uma estrutura industrial moderna, são os seres humanos que desenvolvem os programas, instalam os equipamentos e seguem a linha de produção e, indo além, se comunicam entre os setores.

Por isso, o clima organizacional é muito discutido entre o alto escalão e os responsáveis pelo setor de Recursos Humanos. 

A globalização, em termos gerais, propõe uma competitividade escalonada, em que se inicia dentro da própria empresa, e se amplifica de forma regional e nacional, até alcançar o mercado internacional. 

Dessa forma, os profissionais que trabalham em uma fábrica de papel operando uma guilhotina automatica reconhecem sua importância dentro de um escopo maior, e que precisam apresentar o melhor para dar continuidade ao trabalho proposto.

Caso não tenham um trabalho satisfatório, o encaminhamento para o Departamento Pessoal pode ser a única saída. 

Assim, o pessoal de Recursos Humanos precisa valorizar os esforços daqueles que sempre estão interessados em aprender e oferecer a capacidade máxima dentro da função.

Clima organizacional precisa ser observado

Algo que está dentro da responsabilidade do setor de RH é quanto ao clima organizacional. O relacionamento entre funcionários e empresa deve ser observado a todo instante, para compreender a dinâmica e a produtividade ao longo da jornada de trabalho.

Até mesmo o relacionamento dentro de uma equipe precisa ser acompanhado, pois assim é possível estabelecer metas e objetivos e identificar quem está comprometido com os afazeres e responsabilidades sobre as tarefas que precisam ser realizadas. 

A proatividade pode ser um ponto de observação interessante por parte dos responsáveis pelo RH. Em uma administração de condomínios residenciais é preciso identificar o responsável para prosseguir com a solicitação de consertos. 

Isso pode afetar não só o clima organizacional, mas outros setores que dependem das tarefas feitas em um laboratório clínico.

Benefícios garantem interesse de colaboradores

A partir do momento que um colaborador se apresenta como responsável, ou demonstra interesse e proatividade para além das responsabilidades para o qual foi contratado, tanto o RH quanto o Departamento Pessoal ficam de olho. 

Isso pode significar benefícios, como a entrega de Brindes personalizados para empresas, ou mesmo uma bonificação financeira ao longo do ano fiscal corporativo. 

A oferta de benefícios pode estar relacionada ao departamento pessoal, que pode apontar aos gestores a possibilidade de bonificação ou oferta de brindes e outros presentes que se tornam apenas um incentivo para a manutenção do bom trabalho feito pelo funcionário.

Além disso, é preciso lembrar que alguns benefícios fazem parte da folha de pagamento, entre os quais:

  • Seguro-saúde;
  • Vale-alimentação;
  • Vale-refeição;
  • Vale-transporte.

Esses benefícios podem ser apontados como um atrativo quando o pessoal de Recursos Humanos está fazendo a seleção de funcionários, porém é o Departamento Pessoal a equipe responsável pela inclusão no salário.

Investimento em líderes demonstra união plural

As empresas estão passando por uma transformação interna quando se refere ao setor de Recursos Humanos. Antes a imposição de chefia era tida como uma forma de controlar o ambiente de trabalho.

Na concepção moderna de Recursos Humanos, a figura do chefe está sendo substituída pelo líder, uma figura que demonstra compreensão e os valores de cada funcionário presente em uma empresa. 

Assim, quando uma empresa de Cabo de aço inoxidável conta com um líder para cuidar da gestão de diversas equipes, ela está apostando em uma nova forma de administrar os funcionários, tomando uma postura mais humana e, por que não, até mesmo igualitária.

Um líder que se demonstra preparado e competente vai passar toda a confiança para as equipes que estão sob a responsabilidade, passando senso de empatia e inspiração.

Assim os funcionários trabalham com mais motivação e seguem os exemplos demonstrados ao longo da jornada de trabalho. 

RH estratégico para reter mão de obra qualificada

As normas impostas pelas empresas em forma de valores, missão e visão são determinantes para a aplicação de um RH estratégico na forma em que a gestão de funcionários é empregada no ambiente de trabalho.

A partir do momento que uma empresa de Laudo de vistoria de elevadores coloca em prática esse modelo de RH em funcionamento, é possível associá-lo a planos de carreira que podem ser oferecidos aos funcionários.

Sendo assim, os trabalhadores entendem as funções que estão sob a responsabilidade, e quais os passos que devem ser tomados para que tenha uma continuidade de melhoria profissional e, consequentemente, financeira, ao longo do tempo. 

Isso mantém uma mão de obra qualificada no quadro de funcionários da empresa, reduzindo os custos com demissões e novas contratações. 

Tudo isso recorre a uma empresa com crescimento orgânico e até mesmo mais competitiva no mercado em que atua.

Manutenção de cursos e flexibilização de horário

Um paralelo importante dentro da concepção das responsabilidades que recaem sobre o setor de Recursos Humanos e que depende de total aprovação do Departamento Pessoal está na questão financeira. 

Cada um precisa reconhecer os limites a que estão associados, para que não exista nenhuma possibilidade de um setor intervir no outro. 

Portanto, o diálogo é sempre um caminho para que se estipule o que pode e o que não pode acontecer, e um gerenciamento completo dos processos é fundamental para a organização e acompanhamento de quando uma área passa a ser responsável pelo restante do processo.

Dessa forma, a equipe de RH pode propor cursos e treinamentos para as diferentes equipes de trabalho, com uma flexibilização de horário para que tudo se encaixe na linha de produção.

Pode ser que a responsabilidade de um escritório de Consultoria financeira empresarial goiânia permita essa flexibilização, e assim a empresa conte com profissionais capacitados e devidamente treinados, valorizando a mão de obra que tem à disposição para os clientes.

Assim, diferentes profissionais podem melhorar o currículo, ou se aprofundar em assuntos que sejam de interesse próprio e da empresa que está patrocinando os treinamentos e os cursos oferecidos periodicamente.

Com isso, o Departamento Pessoal precisa controlar os horários e estipular a verba disponível para esse tipo de ação. 

Nesse caso, os cursos podem atender à melhoria de processos na perícia colisão veículos, ou melhor atendimento a terceiros.

A realidade é que todos saem ganhando e cada setor cuida das responsabilidades para que a empresa saia favorecida e fortalecida, indo desde os processos de contratação e promoções, até aspectos rotineiros e administrativos do corpo laboral, como a folha de pagamento.

Conclusão

Por fim, é importante reforçar que a diferença entre o setor de Recursos Humanos para o Departamento Pessoal é que o primeiro está preocupado com as habilidades e a manutenção da qualidade de vida do trabalhador. 

O segundo sempre está atento às questões que se referem à parte burocrática e financeira. Por isso está diretamente relacionado à legislação trabalhista e todos os direitos e deveres de cada parte, tanto do empregado quanto do empregador.

Ambos estão presentes na vida da sociedade produtiva, e estão se adaptando conforme novas propostas surgem e o ambiente de trabalho se transforma, seja por causa da tecnologia, seja pela percepção de que o ser humano precisa ser tratado de maneira adequada.

Com isso ganham todos os envolvidos. As empresas contam com uma produtividade cada vez mais focada em qualidade e eficiência, e os empregados se disponibilizam conforme a qualificação profissional e necessidade de mão de obra nos meios produtivos.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.